Prime Contabilidade

6 dicas de organização financeira para pequenas empresas

6 dicas de organização financeira para pequenas empresas

Mesmo com os abalos da economia brasileira nos últimos tempos, os pequenos empreendimentos vêm crescendo a passos largos. Pensar na organização financeira ainda é o tendão de Aquiles de grande parte dos empreendedores, já que não é fácil estabelecer uma rotina de organização de tudo que entra e sai da empresa.

Segundo dados do IBGE, o número de empresas que fecham suas portas antes mesmo de completar dois anos já chega a 19%, fato que pode estar relacionado à extrema preocupação em produzir e vender, ao invés de organizar e controlar.

Uma boa organização financeira garante a sobrevivência e a solidificação do negócio diante da concorrência cada vez mais acirrada, o que permite que pequenos empresários possam utilizar as movimentações diárias na hora da tomada de decisão.

Mas como começar a organizar as finanças? Veja algumas dicas que lhe ajudarão a administrar melhor o seu negócio.

Serviços contábeis terceirizados

No caso das pequenas empresas, a terceirização dos serviços contábeis tem sido a melhor, ou talvez a única opção. Neste caso, é necessário buscar os perfis que atendam a missão, cultura local e os objetivos da empresa. É preciso que a contratação leve em consideração a coesão entre os colaboradores terceirizados na hora da contratação. O perfil da empresa contratada para prestar os serviços contábeis deve atender aos mesmos do time da casa.

A contratação de um contador para uma pequena empresa não é obrigatória, mas vale destacar que a assessoria contábil pode assumir um importante papel frente à organização e gestão financeira, e tudo dependerá fundamentalmente daquilo que se espera deste profissional.

Apuração de impostos fiscais

Muitos empresários, e até mesmo profissionais da área contábil, desconhecem a importância da escolha do regime tributário correto. Isso acaba provocando certos equívocos, como a apuração de certos impostos de forma incorreta e a geração de gastos desnecessários.

Para tomar certas decisões é necessário que haja planejamento tributário, já que cada tipo de negócio possui sua própria individualidade e uma legislação própria. É preciso manter tudo organizado: declarações, obrigatoriedades e apuração de impostos. Somente com um estudo apurado é possível optar pela melhor forma de tributação, diminuir o valor que é pago com tributos, e evitar o fechamento precoce do negócio.

Organização

A melhor forma de saber tudo o que acontece dentro da sua empresa é acompanhar diariamente todas as suas movimentações. Tenha todas as informações sempre atualizadas e organizadas, como contas a pagar e a receber, bem como os saldos de caixa sempre conferidos ao final do dia em relação às saídas e entradas de recursos.

Leve sempre em consideração que para ter uma melhor visibilidade global e controle de todas as movimentações financeiras é preciso ter tudo muito organizado. Isso permite realizar avaliações em curto e longo prazo, além de facilitar durante o processo de tomada de decisão.

Investir na organização da papelada não significa perda de tempo, mas sim otimizar uma função que pode trazer bons resultados futuramente.

Mantenha tudo registrado

Atualmente, muitas empresas estão aderindo à tecnologia, optando pela utilização de um software de gerenciamento, que mantém as movimentações financeiras diárias visualmente mais claras, com a emissão de gráficos e relatórios. Esses softwares são precisos, ágeis na emissão de notas fiscais e no acompanhamento de tudo que se passa nas finanças do negócio. Vários modelos são disponibilizados no mercado, com as mais diversas funções.

Vale lembrar que a realização de um fluxo de caixa é indispensável em qualquer empreendimento, é a maneira de manter sob controle as despesas, e acompanhar as entradas e saídas de dinheiro.

Controle a Demonstração de Resultado do Exercício (DRE)

Tão importante quanto o fluxo de caixa, é saber se a empresa está dando lucro ou prejuízo. Tais observações só podem ser analisadas pela Demonstração de Resultado do Exercício (DRE). É através dela que o empreendedor poderá fazer um diagnóstico mais preciso da situação da empresa. Muitas vezes o fluxo de caixa mascara um resultado negativo, e que apenas poderá mostra-se negativo através da visão detalhada da DRE.

Terceirização de Recursos Humanos

Terceirizar ou não, eis a questão? Depende. Se a terceirização funcionar como uma parceria, pode ser uma eficiente estratégia de negócio. Mas se ela for vista apenas como uma forma de reduzir custos pode ser um caminho perigoso.

Terceirizar as etapas do processo produtivo vem se tornando cada vez mais comum e pode ser mesmo uma boa escolha em termos de qualidade e produtividade, mas não necessariamente de redução de custos.

Você tem mais dicas para melhorar a gestão de uma empresa? Compartilhe com a gente nos comentários.

Tem dúvidas sobre contabilidade?

Prime Contabilidade

63 3028-3477

205 Sul, Av. LO 05, Lote 30-A, Palmas - Tocantins